2 de jun de 2017

Capítulo 09 - Os brutos também amam



História de dois ex-militares que amam o perigo e o trabalho.

Atenção: Para ver com letras maiores, é só dar Zoom (segure a tecla Ctrl e aperte o sinal de + do teclado).

Capítulo 09
Os brutos também amam

Resumo do capítulo anterior: André matricula os pais em uma academia de ginástica; Marta e Carol recebem a visita de velhas amizades; Carol, através de uma amiga, consegue um advogado para ajudá-los a resolver o caso do assassinato de Murilo; em um evento na casa dos Verdeclaro, Carol consegue aumentar o tamanho dos cabelos; finalmente Carol e André partem para San Myshuno, deixando os pais com Carrapato.



Hobbies e Academia


Em Colina Formosa...


Enquanto André e Carol estavam em San Myshuno a trabalho, Pedro repensava as suas ações dos últimos tempos, ao mesmo tempo que cuidava de seu pequeno pomar ou pescava em seu lago.


Mesmo achando que não tinha feito nada errado com respeito a sua família e trabalho, começou a pensar que talvez pudesse ter feito as coisas acontecerem de uma forma muito melhor.


Nos últimos tempos, Pedro estava descontando suas frustrações e comemorando as suas alegrias com comida. Por sorte, seu metabolismo nunca o deixou engordar realmente, mas a sua saúde lhe dizia que era bom maneirar.


Ele e Marta iam todos os dias à academia de ginástica, que ainda contava com um spa. André os inscreveu nas aulas direcionadas ao público da Terceira Idade, mas Marta e Pedro poderiam usufruir de tudo o que a academia oferecesse.


Seu instrutor o elogiou naquele dia, dizendo que ele estava mais magro e mais resistente. Pedro achou que talvez fosse uma boa ideia aproveitar o fato de estar mais magro a favor de seu casamento.


Além de fazer ginástica, eles aproveitavam o spa da academia. Pedro e Marta souberam que, por já serem sócios, teriam um grande desconto.
E ainda colocavam em dia a vida social.


— Tá sabendo da nova? – Bete* perguntou.
— Que nova? Catarina* desistiu de achar uma nova alma gêmea?


— Errou na teoria, mas acertou no tema! Parece que um viúvo gato vai vir morar na cidade e Catarina já tá doidinha para ter uma chance com ele!
Marta e Bete conversavam sobre Catarina, amiga delas. Bete nunca tinha se casado, enquanto que Catarina era viúva. As duas tinham uma queda por Léo da Mata, mas este também não as tinha notado da forma que elas secretamente queriam. Desde então estavam de olho em outras possibilidades e até passaram a cuidar melhor do visual.
Catarina era tia de Patrícia Wang, mas estava morando, junto com Bete, na espaçosa casa de André Martins (que tinha perdido a mãe e a esposa recentemente e ainda tinha um filho adolescente para cuidar). Este arranjo foi feito tanto para trazer a sobrinha àquela cidade, lhe dando privacidade, quanto para ter com quem conversar, pois Catarina e Bete tinham muitos pontos em comum, além de dar apoio emocional à André Martins. Catarina tentou unir a sobrinha e André Martins, mas não deu muito certo.

*Biografia de Bete Setúbal: “Bete recusa-se a deixar que a morte da sua amiga a atrase ou prejudique o seu discernimento na busca por verdade e justiça. Para esquecer a realidade da sua idade, ela decidiu mergulhar no seu trabalho (e, quem sabe, nos braços daquele jovem e encantador fazendeiro).”
*Biografia de Catarina Viejo: “Catarina deu a sua velha casa à sua sobrinha preferida, na esperança de que elas se aproximem. Ela sente saudades de sua amiga, Linda, mas está aproveitando a sua aposentadoria e descobriu uma paixão por jardinagem (e pelo fazendeiro fofo que mudou para a mesma rua).”

— Como você sabe que um viúvo é quem vai se mudar?
— André Martins conseguiu um trabalho na imobiliária e nos contou que finalmente conseguiu vender aquela mansão parada há tempos. Dizendo que é muito profissional, não quis dizer o nome do comprador, mas acabei tirando dele que o comprador é viúvo e de nossa idade! E se comprou uma mansão e já a está reformando, é porque tem muito dinheiro.
— E Catarina já o quer. Não perde tempo mesmo! E você não tem nenhum interesse romântico nele também? – Marta perguntou, cheia de curiosidade, pois já conhecia as amigas e sabia que as duas tinham gostos em comum.
— Ele vai morar com a família, pelo que André deixou escapar. Ele já pode ter namorada ou algo assim. Vamos ver como fica a coisa. Mas se for completamente descompromissado, Catarina já arrumou concorrente. – Bete disse, segura de si.
— E André disse que o tal viúvo era “gato”?
— Claro que não!
— E como sabem se é bonito ou não?
— Nós não sabemos, mas temos esperança de que seja um “pão”.

* Gíria antiga que quer dizer homem bonito.



Pedro e Marta ainda tinham fôlego para musculação e aparelhos de aeróbica.


O pique deles até fez com que a academia ganhasse novos membros mais jovens.
Após os exercícios, Marta não deixou de perceber o “novo perfume” de Catarina, uma de suas amigas.


— Já ouviu falar do novo invento que acabam de lançar nas lojas? Se chama chuveiro. Maior sucesso de vendas! Seria interessante você ter um desses.
— Não brinca com coisa séria! Odeio este instrutor. Ele acha que sou novinha? Me faz suar sem parar, nunca me dá descanso... Já estou com dor de cabeça de tanta raiva dele.
— Melhor você ir se cuidar, porque você pode estar com dor-de-cabeça, mas eu já estou sem respirar! – Marta falou com voz anasalada, pois estava tampando o nariz.
— O que eu não faço por um “pão”? Mas esta tortura vai compensar!
— Pão? Não se anime facilmente de novo, não. Você pode ter pão amanhecido.
Marta, Catarina e Bete se conheciam desde que Marta tinha ido morar em Colina Formosa; e elas tinham uma amizade sincera e profunda, onde cada uma sabia das qualidades e defeitos da outra, e se respeitavam e se amavam, até quando discordavam, justamente porque não precisavam fingir uma opinião diferente da que tinham, respeitando o jeito da outra agir e pensar. E quando cada uma delas precisava, a outra sempre a apoiava. Por isso, faziam brincadeiras, emitiam suas ideias, até suspiravam (no caso de Bete e de Catarina) pelo mesmo homem, mas a amizade permanecia intacta.


Havia também outras atividades que Pedro e Marta realizavam ali.
— Se pegarem você fazendo isso, seremos expulsos. – Marta o alertou, mas já rindo, pois sempre tinha gostado de brincadeiras do tipo.
— Besteira! Você acha que isso é água potável ou mineral? E só vou pôr sabão nesta fonte. A água principal estará intocada.
— E ainda dizem que eu sou má!
— Eu fiz um bem: a sua amiga não terá mais problema com falta de água e sabão. E você e os outros poderão respirar livremente.


Os funcionários, ao verem a fonte de sabão, riram muito. Por sorte, a direção do ginásio não soube do ocorrido, pois não teria gostado. Ninguém soube quem era o autor da brincadeira, mas todos imaginavam que era o filho de algum aluno da academia.


Depois de tudo, Marta se dedicava à sua costura e Pedro, quando terminava o trabalho no pomar, conversava com ela, enquanto aguardavam a ligação do filho.




Encontro dos Sonhos



Todos os dias André ligava para falar com os pais e saber como os dois estavam.
E inspirado pela vida conjugal que o filho levava, Pedro resolveu investir em seu próprio casamento. Eduardo o tinha acusado de não dar a devida atenção à esposa. Na hora, Pedro achou que era mentira de Eduardo, para depreciá-lo, mas agora sua confiança estava abalada e, por isso, ele resolveu dar uma alavancada no casamento. Ele não pretendia morrer cedo e queria passar o que lhe restava da melhor forma possível.


Em uma tarde, após a ligação diária do filho, os dois praticaram um dos hobbies que agradava a ambos: xadrez. Pedro aproveitou para falar o que planejava.


— Você parece mais relaxada do que antes. O que houve? – Pedro sondou antes de dizer o que queria.
— André está ligando para nós mais agora do que antes de casar. Gosto de saber que ele tem atenção conosco, que não nos esqueceu. Ele ficava semanas sem falar ao telefone conosco quando morava no Centro e namorava aquelas outras. – Marta se referia a todas as ex-namoradas de André.
Ao notar que ela estava realmente mais feliz, Pedro fez sua jogada.


— Eu estava pensando: a gente fica muito em casa. Que tal se a gente der uma saída esta noite para espairecer? O que acha?


— Acho que você tem algo em mente além de esticar as pernas.  Tá aprontando o quê? – Marta perguntou, mas sem se desconcentrar do jogo.


— Nada! Só uma saída com minha mulher.


— Se quer saber mesmo minha opinião, lá vai: estou com uma defesa melhor que a sua, e agora é xeque-mate. Não olhou para o seu jogo, perdeu! E podemos sair, sim. Minha costura está bem adiantada.


— Não importa perder para você. E se arrume bem, pois nós vamos ao restaurante. E todos verão que estou com a mulher mais linda de Colina Formosa. – Pedro paquerou Marta.
— Você está engraçado. Até parece que vamos a um encontro!
— E nós vamos! Será nosso encontro dos sonhos.




À noite, Marta notou que não tinha nenhum vestido novo, além do usado na noite da briga entre Pedro e Eduardo; e ela não queria repetir o mesmo. Ela tinha perdido o costume de ter roupas novas para si, já que raramente saía, mas ela também queria ter uma noite romântica com o marido. E apesar de irem a um restaurante, que era cenário de lembranças trágicas, a data não lhe trazia nenhuma carga de emoções ruins. E como Pedro disse, o que era passado nunca deveria influenciar a vida de forma negativa.


— Se eu soubesse antes, podia ter ajeitado esta roupa. Não tenho nenhum vestido com meu novo número.
Assim como Pedro, ela também tinha emagrecido, mas não tinha feito novas roupas e nem reparado as antigas.


— Já comecei mal a noite. Estou horrível! – Marta falou para si mesma.
Pedro tinha passos leves e chegou sem ser notado.
— A noite nem começou ainda.
— Mas eu não tenho roupa! Não vou sair! E ponto final! Não vamos passar vergonha por eu estar com vestido velho. – Marta disse, desconfortável com a situação.


Pedro sabia o que a incomodava, pois estavam casados a um longo tempo para ele conhecer os dramas de sua mulher, e ele não ligava para roupas.
— Eu não estou olhando para a roupa que você está vestindo. Estou olhando para a moça mais linda que já vi! O pessoal vai olhar para você e saber que você é a rainha da noite, não importa o que use.
— Mas você mesmo disse para eu me arrumar bem! E esta roupa está folgada.
— Só lhe avisei antes para onde iríamos para que você se sentisse bem ao estar condizente com o local. E você está mais do que vestida adequadamente para qualquer lugar que possamos ir hoje! Você está ótima e linda.
— Está bem. Vamos então, já que não tenho outra roupa.
Marta estava um pouco mais tranquila com a opinião do parceiro e gostou de suas palavras. E saíram finalmente.



No restaurante, enquanto Pedro pedia a mesa, Marta ajeitava novamente suas vestes.


Estou parecendo um saco de batatas. Nem parece que emagreci. Vou emprestar meus óculos a Pedro da próxima vez. ‘Rainha da noite’! Pois sim!”, Marta reclamava em pensamento.
Antes de sentarem, encontraram Silvana, amiga dos dois.


— Marta! Pedro! Que bom vê-los!
— O prazer é nosso, Silvana. Está tão linda! Vá lá em casa nos ver e provar de meu bolo. Se bem que estou testando novas receitas. – Marta disse.
Na juventude, após perceber que Silvana era uma boa pessoa, Marta tinha incentivado o namoro entre ela e seu irmão.


Depois que Pedro e Marta se sentaram, Silvana conversou um pouco mais com eles.
— Irei, sim. Sabe que bolo caseiro é minha perdição. E estou mesmo muito feliz por estarem aqui. Estão mais magros e até mais corados!
— É o tempo que ajuda. Como parou de nevar, a gente aproveita para sair mais. – Pedro falou com Silvana; e imaginou que ela já deveria saber de seu problema de coração, mas, por orgulho, ele odiava se fazer de vítima, e, por isso, evitou falar da retomada dos exercícios e da nova dieta.
— Fazem bem. Vou pedir para o nosso melhor garçom vir atendê-los especialmente.
— Obrigada, Silvana, mas não precisa se incomodar. – Marta disse.
Como Silvana sempre tinha sido gentil com Marta e sua família, e era uma pessoa muito sensível, Marta nunca a tratou com seu modo naturalmente ácido.
— Incômodo nenhum. E mais: como estamos no meio da semana, estamos fazendo uma promoção para atrair mais clientes neste período: o primeiro casal que vier comer na quarta à noite, ganha a refeição! Aproveitem, já que é o primeiro casal de hoje! O que vocês consumirem é por conta da casa. – Silvana inventou na hora, pois sempre tinha gostado do casal e sabia dos problemas de saúde de Pedro; e o que poderia vir sobre Murilo, poderia abalá-los mais ainda. Ela também tinha concordado em guardar segredo sobre a profissão de André e Carol.
Os dois gostaram muito do prato que tinham pedido, mas Pedro não estava muito satisfeito. E o garçom Ubirajara* estava passando ao lado na hora.

* O próprio jogo gerou os garçons, o chef e o maitre (como sempre faz); e o garçom Ubirajara, que atendeu autonomamente Pedro e Marta, já tinha um ótimo relacionamento com Silvana, a gerente.



— Por que tem que vir tão pouco camarão?
— O prato não está do agrado, senhor? Se quiser eu posso trazer outro e pedir para o nosso chef caprichar no tempero. – Ubirajara ficou preocupado, já que Silvana o tinha indicado especialmente para aquela mesa, e ele queria agradar a chefe ao máximo; e ele mesmo tinha pedido ao chef para não colocar muito sal, pois Silvana já o tinha alertado do estado de saúde de Pedro e da “promoção de quarta”.
— A comida está maravilhosa. E a quantidade também. – Marta declarou ao garçom para que ele não levasse para o lado pessoal. – Apenas estamos de dieta, e meu marido gosta de se esquecer deste detalhe.
— Mas tão pouco? Eu não quero ficar com fome depois. – Pedro choramingou, pois ele sempre tinha gostado de frutos-do-mar e queria comer bem mais.


— Você nem terminou de comer e já está pensando em ficar com fome depois? Camarão é gostoso, mas é cheio de gordura. Como dizem os mais novos, é rico em calorias e colesterol. Outro dia a gente repete a comida, mas hoje, basta uma porção. – Marta se dirigiu a Pedro; não é porque estava desinibida que ela ia dar chance para Pedro não cumprir o regime. — Depois que ele comer todo este prato, me traga novamente o menu para eu pedir outra coisa para ele, por favor. – Marta pediu ao garçom.
— Como quiser, senhora.
Depois que o garçom se retirou, Pedro comentou:


— Isso é só para cuidar de mim? – apesar de chateado pela pouca comida e a rigidez da Dieta de Marta (como ele passou a chamar), o coração de Pedro estava feliz pelo cuidado dela.
— Claro! Quem melhor para jogar xadrez ou conversar comigo enquanto costuro? E no sábado ou domingo, talvez possamos comer outra coisa com camarão, mas em pouca quantidade, para repetirmos sempre a dose.


— Se for assim, tudo bem. – Pedro estava bem mais contente com a promessa.
E brindaram com água com gás. Nem champanhe Marta o deixou beber.


Depois de tirar uma foto na cabine que ficava na área externa do restaurante, Pedro viu que a noite estava bem melhor do que ele tinha imaginado. E Marta nem se preocupou mais pelo vestido estar largo.






Cena 03
Ligações e Boliche



Na sexta, logo após o almoço (em San Myshuno ainda era manhã, devido ao fuso horário), o telefone tocou e Marta foi atender. Seu filho não tinha um horário fixo para ligar, mas ligava normalmente bem mais cedo. Talvez ligasse à noite para eles. Por isso, Marta atendeu sem muitas expectativas, enquanto analisava as unhas.
— Alô?


— É da casa da Dona Lurdinha, a melhor costureira de Colina Formosa? — André mudou a voz e perguntou assim que a mãe atendeu, como se ele fosse outra pessoa, na zoação, pois como a mãe costurava, e muito bem, sabia que esse comentário ia deixá-la indignada.*

* Nota: texto da ligação escrito pela autora Sally Winter (com revisão minha nas falas dos personagens de Vermelho & Verde); e fotos, no “The Sims 4”, feitas por Sally Winter; veja essa ligação completa no Capítulo 15 de Axl Logan.



— Dona Lurdinha melhor costureira daqui?! Tá louco? Deixa de palhaçada, André!!! — Ela reclamou; sempre reconhecia a voz do filho.



E ele caiu na risada:
— Oi, mãe!



— “Oi, mãe” o caramba, menino! Cadê o respeito? E quando é que volta? Já tem duas semanas aí! Ainda não deu para fazer o que precisava não, é? Andréeeeee, Andréeeeeee! — Ela disse seu nome como quem ia lhe puxar a orelha. — Vocês estão aí é batendo perna! — “Aquela mocinha deve estar fazendo meu filho gastar até o último centavo dele, como se ele fosse algum milionário!”, ela pensou, irritada.
— Calma, mãe! — Ele parou de rir, mas ainda tinha o sorriso no rosto. — Estamos a trabalho! E eu não estou ligando todos os dias?
— Não interessa. É muito diferente de ter o meu filho aqui perto de mim!
— Eu sei, mãe, eu sei. Eu também estou com saudades. Mas, olha, segunda-feira, pela manhã, pegaremos o avião em San Myshuno e voltaremos para casa.


— Finalmente. Achei que já estivesse pensando em ficar por aí. — Ela resmungou.
— Só não estranha meu novo visual, tá? Fui a uma barbearia aqui e o sujeito disse que meu cabelo estava muito estilo “Vaca Lambeu”. Daí ele fez um moicano na minha cabeça e agora estou na moda.


— Pode vir com esse “moicano” que estarei com uma tesoura aqui te esperando! Você não é nem doido, André! Agora fala com teu pai que eu tenho mais coisas para fazer do que ficar ouvindo essas tuas brincadeirinhas! Fica bem, meu filho. — Ela falava enquanto se dirigia para o sofá, onde Pedro estava, até passar o telefone para o marido.


— Oi, pai!



— Oi, filho! Tudo tranquilo? Voltam quando? Como vocês estão? Carol está aí com você, não é? – todo dia Pedro fazia as mesmas perguntas, sempre preocupado com o filho e a nora, enquanto Marta estava sentada ao lado, ouvindo a conversa no telefone (como fazia todo dia quando o filho ligava).


— Está tudo tranquilo, pai. Estamos aqui na pousada. Carol com certeza está aproveitando a piscina agora; e é para lá que eu vou quando terminar de falar com vocês. Aqui em Windemburg geralmente faz frio, mas hoje o calor resolveu marcar presença, para nossa alegria. Mas, olha, já temos data de retorno: segunda-feira agora pegaremos o avião e logo estaremos aí.


“Então a mocinha está na piscina, sabe-se lá como e com quem, enquanto meu menino está sozinho! Eu acertarei as contas com ela!”, Marta pensou, pois como estava bem ao lado de Pedro, podia ouvir nitidamente o filho falando.
— Ótimo! Estamos com saudades. – Pedro continuou a conversa.
— Tá se alimentando direitinho, Seu Pedro? – Mesmo longe, André queria saber como estava a saúde deles, pois, qualquer coisa, voltaria para casa antes do planejado.
— Vou repetir o que lhe digo todos os dias: com sua mãe no seu lugar, dando uma de fiscal de alimentação, não consigo colocar nem açúcar no meu café! — Ele reclamou.
— Saúde em primeiro lugar, pai! — Ele sorriu. — Agora me deixa falar com meu garoto!


— Só um minuto! — Pedro sabia que André queria falar com Carrapato, seu Rottweiler; foi apenas gritar pelo nome, que Carrapato foi correndo ao encontro deles — Pode falar, filho! — Pedro disse.


— Carrapatoooooo!!! Carrapatãoooo, meu menino! – André falou e logo ouviu as latidas de seu cachorro; o animal parecia animado só de ouvir a voz dele no telefone. – Já  estou voltando, viu, grandão?!! Cuida de todo mundo aí pra mim, ok? Bom garoto, bom garoto!!!
Então Pedro voltou a falar:


— Ele vai ficar muito feliz de revê-los. E nós também. Já demoraram demais aí.
— Fica tranquilo, pai. Logo chegamos. E fica bem, tá? Não foge da dieta.
— Nem que eu quisesse eu conseguiria!
André riu:
— Se cuida, Seu Pedro, se cuida!
— Pode deixar! Tchau, filho! Vocês se comportem! – E então ele desligou.


— Você ouviu? Ouviu ele dizer que estava sozinho, enquanto ela estava sozinha na piscina? – Marta perguntou a Pedro.
— Você se preocupa demais! Ela é muito pálida. É bom ela aproveitar e tomar um solzinho. Você mesma não tinha dito que ela parecia um zumbi de tão clara?
— Múmia. Eu disse que ela era branca como uma múmia.


Enquanto conversavam, Carrapato perambulava pela sala, mas não achou nada interessante ali, já que ele não gostava de mastigar móveis, para alívio de Marta.


— De qualquer forma, eles estão bem e cuidando de si mesmos. Devem estar namorando exatamente neste momento. Talvez providenciando netinhos lindos para nós.
— Mas ela o deixou sozinho. E se ela for uma sem-vergonha ou uma falsa e quiser enganar nosso menino?
— Se ela fosse traí-lo, não estaria tão perto dele. E ele tem bastante confiança nela e você já viu que ela nunca deu motivo para não confiarmos nela também. Dê uma chance a eles.
Depois de um tempo pensando, Marta comentou:
— Tá bem! Vou dar uma chance, mas é só por sua causa.
— E para diminuir seu bico, sugiro que a gente vá aquele centro comercial que abriu, hoje ainda. – Pedro resolveu usar o momento para flertar com a esposa.
— Mas a gente não saiu esta semana?
— Pense como um outro encontro, num local mais simples e casual. Se nosso filho pode namorar, eu acho que estamos mais do que qualificados para fazer o mesmo.


Marta aceitou a sugestão, rindo da ideia do esposo sobre “qualificação”.



Enquanto isso, em Windemburg, no Quarto Império, Carol e André conversavam na piscina, após brincarem.


— Mas me diz: já falou com seus pais hoje?* — Carol perguntou a André.
Ela sabia que ele ligava para eles todos os dias; e ela achava isso realmente lindo. Carol até admirava o jeito de Marta proteger a família, mas o gênio forte de Marta a fazia exagerar muitas vezes, chegando a ter uma forte antipatia por Carol. Se não fosse isso, Carol faria questão de falar com eles também.


— Falei sim. Com eles e com o nosso Carrapato. Estão todos bem e esperando nossa chegada.
Conversaram um pouco mais e planejaram visitar um boliche local.



* Para saber todo o diálogo na piscina e tudo o que houve durante a estadia deles até este momento, peço que leia o capítulo 15 de Axl Logan, quando André e Carol foram assessorados pelos personagens incríveis desta história.



No final do dia, Pedro e Marta já estavam de saída, quando um amigo de Pedro chegou e puxou conversa, enquanto que um cachorro da vizinhança se aproximou de Marta, planejando mordê-la.


Mas ao contrário da reação esperada, Marta confrontou o cão:


— Cachorro mau! Que feio tentar morder os outros. Seu dono nunca lhe ensinou bons modos? Bons modos não fariam mal nenhum a você e nem a seu dono.


O cachorro ficou com tanta vergonha que Marta se condoeu.


— Calma! Você é um cachorro bonito. É só se comportar. Nada de sair mordendo por aí de novo. Você nem sabe se a pessoa que você pretende morder tem alguma doença. Seu dono deveria ter treinado você. E também deveria ter colocado uma coleira para que não te roubem.
Devido ao porte e pelos macios, Marta considerou que o cão não era um cachorro de rua abandonado. Na realidade, era um lobo selvagem que não gostava de domesticação. E assim que ela falou em “dono”, o lobo fugiu.




Finalmente tinham chegado ao novo centro comercial. E foram logo ao prédio onde tinha o boliche no primeiro andar; no térreo, havia uma danceteria, onde as pessoas estavam mais concentradas. O local do boliche era praticamente deles.
Pedro se concentrava na hora de jogar e acabou acertando todos os pinos.


Acabou sendo bastante aplaudido pela esposa.


— Parabéns! Mas agora é minha vez! – Marta estava muito animada pela vitória do marido.
Como Marta estava destreinada, Pedro repassou para ela o básico do jogo e ela foi jogar.


Coincidentemente, naquele exato momento, Carol e André também jogavam boliche naquele dia, em San Myshuno.
Sogra e nora receberam instruções e palavras de ânimo de seus maridos antes de jogar.



As duas jogaram a bola de boliche ao mesmo tempo.



Mas enquanto Carol quase caía no boliche de San Myshuno, Marta realmente foi ao chão e Pedro correu para levantá-la.



Carol acertou apenas um pino.



E, apesar da jogada nada elegante, Marta derrubou todas as garrafas, para surpresa e alegria dela e de Pedro.



Carol estava tão chateada pela derrota, que não restou muito a André senão alegrá-la, nem que fosse à base de caretas*.


* Para saber como foi o resto da noite de Carol e André, e como foi o resto da estadia deles em San Myshuno, peço que leia o capítulo16 de Axl Logan, onde André tem surpresas; e Carol e ele tem que provar se confiam ou não um no outro.

Já Pedro vibrava pela vitória da esposa.


Enquanto Pedro dava um abraço felicitando Marta, por ter acertado de primeira, Eduardo apareceu na área do boliche.


Quando acabou o abraço, Eduardo foi falar com eles.


— Oi, gente! Perdi alguma coisa? – Eduardo puxou conversa.
— A noite estava tão boa antes de você aparecer. O que faz aqui? – Pedro estava muito revoltado com o outro ainda.


— Calma, gente! Sou da paz. Vim trazer minha filha para conhecer a noite da cidade.
— Você nem é daqui. Neste horário, era pra você estar em outro lugar, talvez no inferno, mas aqui tá muito distante de sua casa. — Marta se lembrou do detalhe.


— Engano o seu. Comprei uma casinha por aqui.
— Muito estranho! Você sai de uma cidade grande para vir morar neste lugar frio e distante, que praticamente só tem velho!
Pedro se referia ao fato dos jovens estarem migrando para cidades maiores, com mais oportunidades de trabalho.
— Nada estranho, pelo contrário. Eu preciso descansar. Preciso de sossego e ar livre e aqui há de sobra. Minha filha ficará comigo alguns dias, mas eu vim para ficar.
Pedro se dirigiu a Marta, enquanto Eduardo analisava a reação dos dois.


— Querida, faz um favor pra mim? Pega um suco, por favor. O jogo me deixou com sede.
Marta achou estranho o pedido, mas logo entendeu que o orgulho de Pedro exigia que ele falasse sozinho com Eduardo. Mesmo não concordando com a atitude dele, resolveu acatar.
— Não me demoro. – Marta disse antes de se afastar.
Quando ela chegou ao balcão de bebidas, os dois se puseram a conversar com mais liberdade.  Eduardo ainda a olhava como se ela fosse a mesma jovem de antes.


— O que você realmente quer? Acaso não tem mulher em Vale Desiderata para ter que vir atrás da minha?


— Isso é passado! Eu quero apenas aproveitar a minha aposentadoria em um lugar tranquilo. E aqui me parece o melhor lugar para isso.


— Sei! E os porcos voam. Você não é flor que se cheire. Sugiro que fique distante da gente, pois estaremos de olho em você.


Marta logo voltou para onde eles discutiam.
— Não dá para fazer suco. As frutas que você gosta estão em falta. E acho melhor irmos. Não quero jogar mais boliche. – Falou com Pedro, que respondeu:
— Também acho. Muita gente estraga o jogo.


Eduardo ainda se despediu:
— Até mais, gente.
— Esperamos nunca mais vê-lo, Eduardo. – Marta falou sem olhar para trás.


Temo que esteja enganada, querida, pois pretendo vê-la o mais breve possível.”, Eduardo pensou.


Foram dançar no térreo, ao invés de deixar que Eduardo estragasse a noite deles.

Música: Mark Ronson - Uptown Funk ft. Bruno Mars


Como era a Sexta-feira Livre, o DJ tocava vários ritmos, principalmente o que o público pedia.
Naquele momento tocava “Uptown Funk”, de Mark Ronson, com participação de Bruno Mars. Todos curtiram muito.


Depois Marta pediu a música “Maniac”, de Michael Sembello, e, apesar de antiga, todos passaram dançar mais ainda na pista. Alguns tinham mais animação do que técnica.

Música: Michael Sembello - Maniac



O que não era o caso de Marta e Pedro, que nem sentiam os ossos reclamarem, de tão felizes que estavam com a noite no geral, pois ao som das músicas, logo se esqueceram de Eduardo.

Dentro da danceteria, um casal conversava:



— Vamos dançar também, Elisa? Olhe aqueles velhinhos. Não param. – Falou o rapaz.


— Não vou. E qual o problema desses velhos que não estão dormindo ou fazendo tricô?
O rapaz tinha ficado surpreso com a resposta, pois Elisa sempre tinha se mostrado afável. A moça vê que suas palavras tinham sido inadequadas e conserta.


— Desculpe, Sérgio. Estou tão cansada e com dor de cabeça. Estou muito chata hoje, né? Na verdade, só saí de casa por causa de meu pai.
— Entendo. Então vamos para um lugar com menos agitação.  – Sérgio já estava se animando de novo com a possibilidade de ficar sozinho com ela.
— Ótima ideia! Vamos subir pro boliche, que lá não faz tanto barulho.
Sérgio ficou triste, pois estava tentando conquistar Elisa, mas nem sentar ao lado dela tinha conseguido. E com o pai dela por perto, seria impossível.


Enquanto isso, do lado de fora, alguém pensava, enquanto analisava a área:
O que a crise não faz com a gente! Ter de viajar até o cafundó do brejo para conseguir uma grana!”.

Depois, Pedro levou Marta ao fliperama.


— Não é desta forma. Você só tem mais uma vida no jogo. – Pedro argumentou.
— Não tem problema. Eu jogo de novo. No momento, estou apenas me aquecendo. – Marta respondeu, pois ela também era orgulhosa como o marido.
— Me deixe te ensinar mais uma vez! Eu sou craque neste jogo – Pedro estava preocupado.
— Isso aqui é fácil. Eu estou sem prática apenas. Já, já serei melhor do que você.

Cantaram no karaokê. E um funcionário até gravou e pôs no SimTube.



Patinaram sem cair.


Olharam novas roupas, pois as deles estavam largas e fora de moda, mas resolveram não comprar naquela noite. O motivo nem foi o estilo das roupas, que agradava a ambos, e nem o fato de não terem levado muito dinheiro. O verdadeiro motivo foi a antipatia da atendente do caixa, que tinha perdido o emprego de vendedora na loja de souvenires* pelo mesmo motivo: falta excessiva de carisma.

* No capítulo 6 - A despedida


Passaram até na loja de animais, a pedido de Marta, para verem a possibilidade de levarem uma namorada para Carrapato, que estava muito quieto naqueles dias. Marta achou que uma companhia canina faria bem para ele. Acharam uma cadela bonita, mas destreinada. Preferiram levar o próprio Carrapato no dia seguinte, para ver se ele se entrosaria bem com ela.


— E depois você diz que não gosta de animais. – Pedro ponderou.


— Eu nunca disse que não gostava de animais. Eu apenas não gosto do barulho e da bagunça que fazem. Se levarmos amanhã esta cadela, teremos que treiná-la, para que ela não destrua os meus móveis. Já basta que aquele cachorro toda hora abre buracos no quintal.


Finalmente o cansaço os atingiu. Devido ao horário, preferiram ligar para o táxi a caminhar até em casa ou esperar um ônibus. Enquanto aguardavam, contavam piadas um ao outro, para passar o tempo. A previsão era de que o carro chegasse logo.


Pedro aproveitou a espera para paquerar Marta mais uma vez. Ele tinha comprado uma rosa de plástico e por isso, pôde dobrá-la e escondê-la debaixo da camisa e a deu para Marta, cheio de charme.


Apesar da flor não ser verdadeira, Marta estava emocionada com o carinho e a atenção. Estavam tão felizes que não perceberam o sujeito até que ele anunciou o assalto.


— Perdeu, vovô! Passa a carteira, o celular e as joias.


— Toma a carteira e o celular, mas não temos joias. – Pedro disse enquanto entregava tudo.


Depois de guardar rapidamente a carteira e o celular, o assaltante atirou em Pedro e fugiu.







Lotes usados:
Angel Town City Center, de AngelFrouk
The Sims 2_Dia de Spa, por Jonathas Ferreira (o lote está em um grupo do Facebook)


Agradecimentos

A Sally Winter, responsável pelas fotos de The Sims 4, e o visual novo e caprichado de Carol e André neste jogo; ela também criou os diálogos originais entre André e seus pais, no capítulo 15, por isso, qualquer semelhança não é mera coincidência. 
Para Sally: obrigada pelas fotos deles em TS4! Me emocionei bastante com o cuidado que você teve com este casal nesses dias. E também com a ajuda nas falas, pois o diálogo entre filho e pais está maravilhoso! Você captou perfeitamente a essência deles!
E a você, leitor, que acompanhou este capítulo. Se tiver perdido algo não se desespere. É só clicar na tag #vermelhoverde ou na aba Minhas Histórias, para poder ver todos os capítulos.
Peço que deixe seu comentário dizendo o que gostou ou não. Este episódio é feito em especial a você, leitor. Por isso, a demora para que possamos oferecer o melhor.



10 comentários:

  1. Obaaaaaaaaa!!! Meus comments:

    1- Primeiramente, que capa lindaaaaaaa!!! O jeito que eles se olham é tão doce! S2

    2- Amei a imagem mostrando a cidade de Colinas Formosa!

    3- Amei a academia/spa que eles frequentam! E também achei lindo o pequeno pomar de Seu Pedro! E muito fofo Carrapato cavando no chão enquanto ele pesca! :)

    4- “Já ouviu falar do novo invento que acabam de lançar nas lojas? Se chama chuveiro. Maior sucesso de vendas! Seria interessante você ter um desses.”. Ri demais com esse comentário de Marta! Kkkkkkkkkkkk...

    5- Adorei a amizade de Marta, Catarina e Bete! Muito bom ver o lado social de Marta! :)

    6- Ri muito de Seu Pedro aprontando na fonte! Que pestinha! Huahuhauhuahuahuhau...

    7- Adorei a forma como Seu Pedro propôs a sua esposa que saíssem mais. Ele é um fofo!

    8- Amei o vestido de D. Marta! E Seu Pedro todo arrumado tb! Muito lindos os dois!

    9- “Já comecei mal a noite. Estou horrível!”. Gente, o drama de D. Marta me representa de vez em quando. Kkkkkkkkkkkkkkk...

    10 – Os quadros deles no quarto! Geeeeeente! Amo demais esses detalhes que deixam a história mais rica! S2

    11- “Eu não estou olhando para a roupa que você está vestindo. Estou olhando para a moça mais linda que já vi! O pessoal vai olhar para você e saber que você é a rainha da noite, não importa o que use.”. Seu Pedro, te amo! Que lindoooooooooo!!! :)

    12- “Por que tem que vir tão pouco camarão?”. Provavelmente porque seu prato é “gourmet style”, Seu Pedro; mas sua reclamação me representa! Kkkkkkkkkkkkkkk...

    13- A fotos deles de mãos juntinhas, no restaurante, me encantou!

    14- Gente, que fofo!!! Ela amou o encontro!!! Adorei ter colocado a foto com aquele dizer dela!

    15- As caras e bocas de D. Marta na ligação com o filho! Huahuhauhuahuhauhau... AMEI!!! s2

    16- “Marta estava sentada ao lado, ouvindo a conversa no telefone (como fazia todo dia quando o filho ligava)”. Kkkkkkkkkkkkk... E depois: “ ‘Então a mocinha está na piscina, sabe-se lá como e com quem, enquanto meu menino está sozinho! Eu acertarei as contas com ela!’ ”. Ri demais!!! D. Marta seeeeeeempre ouvindo as conversas e sempre com esses pensamentos viajantes!!! xD :D

    17- “Tá bem! Vou dar uma chance, mas é só por sua causa.”. D. Marta é engraçada: sempre diz que vai dar uma chance para Carol, mas nunca dá mesmo. Aqui na torcida para que, um dia, isso mude.

    18- Geeeeeente, e D. Marta brigando com o lobo achando que ele era um cachorro? Kkkkkkkkkkkkk... Ri horrores! Sorte a dela que ele foi bonzinho e se mandou! xD

    19- Ameiiiiiiiiiiiiiiii a coincidência de Carol e D. Marta jogando boliche na mesma hora. Muuuuuito show!!! :D s2

    20- Aiiiiiiiiiii, odeioooooooo o Eduardo!!! Cara mala e inconveniente!

    21- Ameiiiiiii o boliche, a boate e o fliperama!

    22- E Elisa e Sérgio? Fiquei com pena dele. A Elisa parece bem chata! Tinha que ser filha do Eduardo, né?

    23- Geeeeeeente, e como Seu Pedro e D. Marta cantam bem!!! Arrasaram demais! Ameiiiiiii o vídeo!!! Muito, muito, muitoooooooo!!! :D E que dia lindo eles tiveram! :D

    24- Mas OMG!!! Que final assustador!!! Cara, meu coração ficou apertadinho pelos dois!!! :’(

    25- “Para Sally: obrigada pelas fotos deles em TS4! Me emocionei bastante com o cuidado que você teve com este casal nesses dias. E também com a ajuda nas falas, pois o diálogo entre filho e pais está maravilhoso! Você captou perfeitamente a essência deles!”. Déa, eu que agradeço a confiança e o carinho de sempre! Muito obrigada mesmooooooooo!!! Vc é uma linda!!! s2

    E o que posso dizer mais? Cara, capítulo perfeitooooooooo!!! Amei muito, muito, muitooooooooo!!! Valeu muito a pena esperar (como sempre)!!! Mas agora ficarei aqui louca pelo próximo!!! Quero ver o desenrolar dos acontecimentos, quero ver o que acontecerá com Seu Pedro, como Carol e André ficarão ao saber do que houve, quero tudooooooooo!!! Beijão, Déa!!! E parabéns pelo excelente e criativo trabalho!!! :D s2

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1-Obrigada! Eles gostam uito um do outro. Estejam brigados ou não.
      2-Não é à toa qie a cidade tem o nome de Formosa. É linda! Merecia uma foto há tempos!
      3-A academia/spa é obrade Jonathas Ferreira. Obrigada, Jonathas!
      Seu Pedro cuida com muito zelo do pomar e lago. E agora ele tem um pequeno ajudante para manter a terra arada. Mesmo que Marta não goste! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      4-Como disse Seu Pedro, Dona Marta não é falsa. Fala mesmo!! Ainda bem que a outra já a conhece e reconhecia a necessidade de um banho! Tb ri muito delas!
      5-Que bom que curtiu! Se tiver um esporte de três, vamos inscrever Marta, Catarina e Bete!
      6-kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Ele apronta com todos! Ele e Marta têm química e não é à toaa!
      7-Seu Pedro é um pestinha, mas sabe ser um charme, também! E chegar com cuidado, principalmente. Já pensou se ela o manda tomar banho, como fez com Catarina?!!
      8-Vou repassar para Dona Marta! Ela ainda está chateada com o tamanho da roupa! Ela vai gostar do elogio!
      9-Ela também me representou nesta hora.
      10- <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3
      11-Ser galante de alma é outra coisa!
      12-Vamos protestar por mais camarão!!!!
      13- ♪Love's in thea air.♪
      14-Seu Pedro teve a sua recompensa!!! O esforço por comer pouco camarão valeu a pena!
      15-Eu rio muito com ela! Mas também com aquele susto de André Quem não faria aquela cara?
      16-Zelo demias é fogo!!!! kkkkkkkkkkkkkkkk
      17-Eu também torço!
      18-Nem o lobo aguenta com Marta!
      19-Elas tem muita coisa em comum, mesmo! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      20-Tb odeio! Homem mau!
      21-EEEEBA!!!! Els tinham que se divertir! Até ring de patinação tinha!
      22-A chatice é de família. Eita genética forte! E Sérgio é atpe bonito! Pq ela não dá chance ao garoto?
      23-E eu não tentei aprender a letra? Se eu traduzir, posto aqui!
      24-O meu também. Depois de tudo, levarem aquilo.
      25-O agradecimento é meu!

      Oi Sally! Não se arrependerá pelo aguardo! Como será que Carol, André e Dona Marta ficarão depois desta? Seu Pedro vai sobreviver? Ou já bateu as botas? Será Eduardo o dono da mansão? E Sérgio e Elisa como ficarão? Só não digo mais nada, pois quem gosta de spoiler é apenas eu! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  2. Muito boooooooooom! :D como sempre digo: Suas fotos são incríveis, amo tooooodas!
    Um amor esses dois! Marta e Pedro são um casal lindo! :) <3
    E ESSE FINAL?! MEU DEEEEEEUUUS! TÔ AGONIADA! ESPERO QUE PEDRO FIQUE BEM :(
    Tenho certeza que aquele é Cabello e mais certeza ainda que ele foi contratado pelo doido do Eduardo! Pobre Pedro :(((
    Parabéns pelo capítulo! Já quero mais <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por ter gostado das fotos,
      Também espero que Pedro fique vivo!
      Bem, cabelo o assaltante tinha bastante! Mas Eduardo tava lá dentro no boliche! Ele é pior do que a gente imaginava? Que medo!!!

      Excluir
  3. Oh Meu DEUS! Li esse capítulo ontem a noite, mas ainda estou em choque!!!!!! Quero mais!! Senhor, estão tão extasiada que mal consigo descrever a perfeição desse capítulo, podia até ser uma novela! Já pensou que loucurasde a Carol e André tivessem um bebê ao mesmo tempo que Carrapato tivesse vários?! Eu estaria rindo com isso se não fosse esse final trágico! Socorro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leti! Obrigada por ter lido e gostado!
      A casa vai ficar enorme com tanto filho de Carrapato! Será que acontece? Seria muito engraçado, mesmo!
      E sobre o final... vamos aguardar o próximo capítulo!

      Excluir
  4. Nossa que trágico!Primeiro fiquei muito feliz por ver que Marta se divertiu um pouco, mas se divertiram tanto que até parecia uma despedida :(
    Como André vai ficar quando souber o que aconteceu com o pai? \0/ Espero mesmo, que seu Pedro fique bem.
    Parabéns Andrea! Muito lindas as fotos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Pat!
      Também estou apreensiva quanto a reação de André! Vamos vert o que irá acontecer.
      E obrigada por ter lido e por ter gostado do texto e das fotos! :)

      Excluir
  5. 1. Muito divertido Dona Marta e seu Pedro na academia!
    2. "Já ouviu falar do novo invento que acabam de lançar nas lojas? Se chama chuveiro. Maior sucesso de vendas! Seria interessante você ter um desses." Dona Marta sendo Dona Marta! Kkkk.
    3. Seu Pedro fazendo travessuras!! Que feio, hein!!
    4. Que fofos. Seu Pedro sendo um amorzinho com Dona Marta;
    5. Amei os quadros com as fotos deles mais jovens.
    6. Que lindos Andre e Carol em TS4 <3
    7. Dona Marta ouvindo a conversa de Andre com seu Pedro e sempre implicando com a pobre Carol. Aff Dona Marta para de ser rabugenta!
    8. Esse Eduardo safado sempre estragando o clima entre Dona Marta e seu Pedro, aff.
    9. Aí meu Deus tava tudo tão lindo e veio um infeliz de um ladrão roubar-lhes e ainda deu um tiro no seu Pedro. Sério me deu uma dor no coração!

    Capítulo maravilhoso,Dea! Amei esse capítulo voltado aos pais de Andre.

    Tadinho do seu Pedro, espero que fique bem!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 01. Pedro e Marta sempre gostavam de esportes na juventude. Só faltava a prática. E eles ficaram tão sincronizados, que precisava printar. Ficou lindo, né?
      02. Dona marta tem este jeito ácido com todos, mas por ser sincera e estar presente sempre para ajudar os amigos, ainda não perdeu nenhuma amizade. E todos acabam rindo com estas tiradas dela. Realmente, É realmente Dona Marta sendo Dona Marta! Também sempre rio com esta dela.
      03. Feio, mas divertido! Kkkkkkkkk
      04. Seu Pedro é um gentleman com a esposa! <3 Impossível não amá-lo!
      05. Obrigada!!! Amei fazer estes quadros e quando falam isso, me sinto lisonjeada!
      06. Mérito de Sally. Obrigada mas uma vez, Sally!
      07. Sobre ouvir a conversa: é o jeito dela estar perto do filho. Sobre Carol: ela ainda não conhece a nora e tem medo do filho sofrer, por isso, tanta implicância! Mas também espero que isso termine logo!
      08. Eduardo é um mala mesmo! Homem mau! Muito mau!
      09. O ladrão parece pior que Eduardo, né? Mas fala para o coração ficar sossegado! No capítulo 10 tem notícias boas para você e seu coração!

      Obrigada por ter lido e gostado. Fico muito feliz que você esteja acompanhando.
      Os pais de André precisavam de um espaço deles para a gente conhecê-los mais. E André e Carol podem estar viajando, mas a história não para!
      Mas sobre a saúde de Seu Pedro? Só capítulo 10 agora para você saber. 

      Excluir